Rock Street regressa ao Rock in Rio-Lisboa

Publicidade
Rock_Street
A Cidade do Rock, vai contar com o regresso Rock Street, rua cenográfica da, esta rua, que foi um autêntico sucesso na edição de 2012, regressa assim renovada e, desta vez, inspirada na Grã-Bretanha e na Irlanda.
A nova Rock Street vem abrilhantar o 10º aniversário do Rock in Rio-Lisboa 2014, sendo o primeiro palco do evento a abrir. Todos os dias, das 16H00 até à meia-noite, a Rock Street proporciona oito horas de um ambiente alegre e divertido, onde o público se sente a viajar pelo exótico bairro londrino Camden Town e pelo irlandês Grafton Street, com artistas de rua também imersos nesta temática. A RSBB atuará em todos os dias do evento com um repertório que celebra sobretudo a música do mítico quarteto britânico The Beatles.
Bruce Leitman, diretor artístico deste espaço, referiu que “a Rock Street é um lugar de interação e de inclusão, o ponto de encontro do Rock in Rio, onde o público é parte do cenário e participa do espetáculo. O inesperado acontece a qualquer momento e aplaudimos o improviso”.
As novidades da Rock Street
Nesta edição, quem passar pela Rock Street vai encontrar uma estátua viva de John Lennon, um Guarda do Palácio de Buckingham, um fotógrafo vitoriano com adereços para o público, músicos interpretando clássicos do rock inglês, bandas de música irlandesas, gaita-de-foles escocesa, violino irlandês, malabaristas punk, Hula Hoop, assim como outras figuras presentes na última edição: caricaturista, acrobatas, mágico e cartomante.
Todos os dias, na abertura de portas, a gaita-de-foles escocesa irá dar as boas-vindas ao público e encaminhar os primeiros fãs a entrar na Cidade do Rock para o cenário descontraído e envolvente da Rock Street.
As vinte lojas, bares e restaurantes da Rock Street vão também ficar imersos na temática dos pubs ingleses e nas ruas de Dublin. Tal como na edição de 2013 do Rock in Rio, no Rio de Janeiro, estas estruturas são de fibra de vidro (material sustentável e de fácil reutilização)
Entre as marcas presentes estarão a Caixa Geral de Depósitos, Lúcia Piloto, Heineken, Watx & Colors, FNAC, Continente, Multiópticas, Vodafone, MOP, Multidados, Portugália, Telepizza, Leitão no Pão e Diário de Notícias.
Palco EDP Rock Street
Pela primeira vez, o palco da Rock Street terá um naming próprio, passando a denominar-se Palco EDP Rock Street.
É para nós um orgulho sermos a primeira marca a dar nome ao palco EDP Rock Street. O seu conceito inovador e interactivo aproximará o público português aos vários artistas que por ali passarem, proporcionando momentos contagiantes e surpreendentes. Enquanto energia oficial da música, a EDP reforça assim a aposta no Rock in Rio-Lisboa, depois de já ter tornado a Cidade do Rock mais eficiente, com a troca de 170 lâmpadas de baixo consumo, e ter criado o EDP Bike Park, o primeiro do mundo com paletes recicladas. Desta forma, marcaremos a diferença no 10º aniversário do Rock in Rio-Lisboa, que será certamente um evento com muita energia EDP!”, revela Paulo Campos Costa, Diretor de Marca e Comunicação da EDP.
Além do novo naming, o palco será também maior, com cerca de 13 metros de largura e 3,5 metros de altura, e muito próximo do público.
O palco EDP Rock Street vai receber, todos os dias, espetáculos da RSBB, Terra Celta, Lisa Lottie, Banba, e fecha com chave de ouro com uma Irish Party, que se caracteriza por uma explosão de alegria e força.
Melting Pot, Heymoonshaker, For Pete Sake e Drowning Bride são outros dos artistas que vão subir ao palco ao longo dos cinco dias do Rock in Rio-Lisboa 2014 para uma verdadeira festa da música e do entretenimento!
 
Os artistas
Banba (irish dance) – todos os dias
O espetáculo dos Banba combina o talento de dez dos artistas mais talentosos de dança irlandesa, alguns dos quais participaram em superproduções como Riverdance e Lord of the Dance. Esta é uma performance poderosa, que mistura a precisão e precursão da dança irlandesa com a realidade etérea da dança em soft-shoe. Com coreografia de Dearbhla Lennon e Breandán de Gallaí, o espetáculo dos Banba vai levar o público numa viagem mágica pela dança tradicional irlandesa.
Terra Celta – todos os dias
Inovadores, excêntricos e carismáticos, os Terra Celta são um grupo que mistura a energia da música celta com a espontaneidade do povo brasileiro através da fusão de instrumentos e de performances exóticas. Este é um espetáculo inovador e repleto de animação, com figurinos inusitados e instrumentos exóticos que resultam numa performance explosiva e eufórica.
Com letras despojadas que tratam de assuntos quotidianos numa atmosfera de muito bom humor, o grupo diverte-se interagindo com o público, que responde a todas as brincadeiras fazendo com que o espetáculo se torne numa enorme festa.
 
Heymoonshaker – dias 30 e 31 de maio
Esta é uma dupla improvável, que junta dois estilos muito distintos: a guitarra e a voz grave do blues são acompanhadas por um beatboxing de cortar a respiração.
Juntos há quase dois anos, Andy Balcon e Dave Crowe são os responsáveis por este projeto único e original de “blues urbano”. Donos de um enorme talento, as suas atuações impressionam, sobretudo, pela enorme química que a dupla tem em palco, transmitindo um espírito enérgico e criativo, que não deixa ninguém indiferente.
Começaram como artistas de rua e continua a ser neste tipo de atuações que se sentem mais confortáveis. Em 2013, lançaram o primeiro EP Shakerism, que agora apresentam nas ruas da Rock Street.
RSBB – todos os dias
Este projeto musical, concebido e produzido pelo músico Bruce Henri Leitman, diretor artístico da Rock Street, junta vários artistas que vão surpreender em palco, todos os dias, interpretando clássicos dos Beatles, The Rolling Stones e outros grandes sucessos da pop britânica dos anos 70, com arranjos inéditos. A RSBB estreou com grande sucesso no Rock in Rio 2013, no Rio de Janeiro, e, em Lisboa, vai receber em palco Joko e Laurent Filipe, entre outros ilustres convidados.
A base são 5 músicos, mestres do Jazz e do improviso, alguns deles escolhidos a dedo entre a nata do instrumental lisboeta para o Rock in Rio-Lisboa 2014.
Sucessos como “Eleanor Rigby”, “Blackbird”, “Hey Jude”, “Back in The USSR”, entre outros, ganham assim uma roupagem inovadora. Com espaço para improvisos, o espetáculo é variado, animado e diferente a cada dia.
For Pete Sake – dia 25 de maio e 1 de junho
Foram a banda escolhida pelos clientes da EDP – através de um desafio lançado pela empresa – para actuar no palco EDP Rock Street. Baseados fundamentalmente no folk rock dos anos 60 e 70 e no indie rock, são uma banda com um feeling único ao vivo e cativante pelas suas canções e harmonias de vozes.
A banda é composta por 6 elementos: Concha Sacchetti (Vocalista), Pedro Sacchetti (Vocalista, Guitarrista), Vasco Magalhães (Bateria), Vitor de Almeida (Sintetizadores e Piano), Nuno Henriques (Baixo) e Daniel Canete (Guitarra e Efeitos). Todos remam no mesmo sentido – Criar uma experiência inesquecível e única que agarre todos os espetadores. Ainda sem data definida para a edição do álbum (já composto), os For Pete Sake têm já disponível on-line o seu EP de estreia. Recentemente deram a cara e música para a nova campanha da EDP, “a energia que nos une”, que os lança agora para uma primeira “tour” pelo país.
MeltingPot – dia 25 de maio
Numa mistura entre o folk irlandês e as músicas tradicionais e do mundo, as atuações dos Melting Pot apostam na interação com a audiência, tornando-os parte integrante do espetáculo e fazendo uma autêntica festa.
Inspirados pelas diferentes origens e influências dos membros da banda, Carlos, Billy e Alix juntaram-se em 2003 e, em 2005, gravaram o primeiro álbum em estúdio, The rights of Man. Esta banda irlandesa vive atualmente em Portugal e é residente do O’Gilins Irish Bar, no Cais do Sodré, em Lisboa, mas percorre o país e a Europa com presença assídua em festivais de Música do Mundo.
Lisa Lottie – todos os dias
A holandesa Lise Lottie apresenta-se na Rock Street com o seu espetáculo de hulla hoop, que já levou a mais de 100 cidades, em 29 países. Com uma formação profissional impressionante, treinou na Escola Nacional de Circo, do Rio de Janeiro, e é formada em arte circense, pela The Circus Space, em Londres.
Atualmente, vive entre Inglaterra e a Austrália, percorrendo o circuito mundial de festivais de rua com o espetáculo “Bend it like a Barbie”. As atuações de Lisa incluem também contorcionismo e hoop aéreo. Os seus vídeos no Youtube ultrapassaram as 1.5 milhões de visualizações.
Drowning Bride – 29 de maio
Ana Figueiras (ex-The Unplayable Sofa Guitar) apresenta o seu primeiro trabalho como cantautora. Juntamente com João Sousa (ex-Muri Muri), tocam temas inspirados na sonoridade das “Murder Ballads” e em temas religiosos do folk. Na voz e na guitarra, Ana Figueiras interpreta temas com raízes na música tradicional Americana. João Sousa acompanha-a nas percussões, clarinete e metalofone.
IRISH PARTY – todos os dias
Todas as noites, o Palco EDP Rock Street encerra com uma Irish Party, numa autêntica festa que junta os dançarinos dos Banba com os músicos dos Terra Celta numa energia e alegria contagiantes. Ninguém vai querer faltar!