MOE’S IMPLOSION: “certos pormenores que nos escaparam no passado”

Publicidade

 

Savage é o nome do novo disco dos Moe’s Implosion que chegou ontem dia 13 de Outubro às lojas e plataformas digitais. Este novo disco é uma evolução relativamente ao anterior, Light Pollution. o MT entrevistou a banda:
– Como foi o início da carreira da banda?  
Começou como qualquer banda Rock deve começar, cinco amigos que gostavam de música e queriam tocar juntos.
– Quem são as vossas principais influências musicais?  
Cada pessoa tem o seu gosto particular, claro. Mas, de uma maneira geral, diria que as nossas influências não podem ser restritas apenas à música propriamente dita. Um livro, um filme, um videojogo, qualquer coisa que para nós signifique alguma coisa, acaba por nos influenciar e ter um peso no nosso trabalho.
– Que tipos de música costumam ouvir?  
Cada elemento tem os seus gostos individuais. Gostos esses que vão desde o Rock até à música clássica, com passagens pela música electrónica, o Hardcore ou uma boa música Pop. Gostamos de boa música, essencialmente.
– Vivem da música?  
É esse o sonho, mas, por enquanto, ainda não é possível.
– Como definem este novo disco?  
É um disco directo, com mais para dizer do que o anterior. Tivemos uma grande preocupação com certos pormenores que nos escaparam no passado.
– Qual a meta… vender muitos discos, tocar ao vivo, ou um carreira total na musica?  
Acho que tudo isso faz parte do objectivo de qualquer pessoa que queira fazer da música a sua vida. Mas se tivéssemos de escolher um, acho que tocar ao vivo é aquilo que mais prazer nos dá enquanto músicos.
– Qual é o vosso sonho para os próximos tempos?  
Percorrer a maior área possível a tocar ao vivo e mostrar a nossa música ao maior número de pessoas. Temos um disco do qual estamos muito orgulhosos e queremos partilhar isso com o público.
– O que acham do atual panorama da música em Portugal?  
Em termos de qualidade, melhor do que nunca. Mas essa qualidade não se traduz, infelizmente, num maior número de casos de sucesso. As condições monetárias no país não são as melhores neste momento, e isso reflete-se imenso numa área cultural como a música.
– E dos sites de musica em Portugal?  
Têm surgido imensos sites e blogs e isso demonstra que o interesse na música em Portugal é real e isso deixa-nos contentes.
– O festival de estimação?  
Cada festival de música tem o seu conceito e ideia muito definidos e nem sempre o orçamento corresponde à qualidade. Em Portugal existem muitos festivais de média e pequena dimensão que conseguem proporcionar melhores experiências do que os são patrocinados pelas grandes marcas. No fundo cada um tem a sua ideia. Deixamos aqui um agradecimento a todas as pessoas que organizam.
– Um pensamento para partilhar com os leitores!  
Não parem de ouvir música e apoiar as bandas de que gostam, não somos nada sem vocês.