Teatro Micaelense celebra Abril com exibição de dois documentários

Publicidade
dfh
No ano em que a revolução de Abril comemora 40 anos, o Teatro Micaelense exibe, a 24 de Abril, Guerra ou Paz, de Rui Simões, e Lápis Azul, de Rafael Antunes.
Guerra ou Paz, de Rui Simões, será apresentado às 21h30. O filme é dedicado ao tema dos refractários e desertores da guerra colonial e conta com testemunhos portugueses e angolanos, incluindo o do próprio realizador, do arqueólogo Cláudio Torres, do cartunista Vasco de Castro, do músico Luís Cília e do escritor angolano António Setas, entre outros.
Lápiz Azul  debruça-se sobre a censura, instituição que vigorou em Portugal durante quarenta e oito anos. Quem foram os homens que mantiveram a instituição da censura; Quem foram os homens e mulheres que lutaram contra ela; Qual a importância da liberdade de expressão nos dias de hoje? O documentário Lápiz Azul, que será apresentado às escolas, às 15h30, procura responder a estas questões, socorrendo-se de relatos na primeira pessoa dos jornalistas, escritores e colaboradores dos jornais e rádios que a viveram. Para além dos depoimentos, o documentário é suportado por material de arquivo gentilmente disponibilizado pela GESCO – Gestão de Conteúdos e Meios de Comunicação Social, S.A, pelo Arquivo Nacional Torre do Tombo e pela EPHEMERA, Biblioteca e Arquivo de José Pacheco Pereira. O documentário conta com a participação de Mário Soares, Francisco Pinto Balsemão, Marcelo Rebelo de Sousa, Graça Franco, Maria Teresa Horta, José Pacheco Pereira, Marvine Howe, Mercedes Balsemão, José Pedro Castanheira, Adelino Gomes, Alberto Arons de Carvalho, Artur Portela, Joaquim Cardoso Gomes, João Paulo Diniz, Daniel Agostinho e Maria Barroso.
O bilhete para Guerra ou Pazé €3,00 e pode ser adquirido na bilheteira do teatro e na Bilheteira Online
Lápiz Azul  está disponível para marcação gratuita pelas escolas.